Roteiro, laboratório e festivais - Revista Esquinas
REVISTA DIGITAL LABORATÓRIO
DA FACULDADE CÁSPER LIBERO

Roteiro, laboratório e festivais

Por Raphael Araujo : agosto 28, 2018

Produtores comentam como participar de festivais e aprimorar suas habilidades audiovisuais

Na manhã da terça, 28, Fernanda de Capua e Rafael Sampaio foram os convidados da Semana de Comunicação responsáveis por falar sobre os laboratórios de roteiro presentes no Brasil. Um exemplo deles é o BrLab, ao qual ambos estão ligados e é considerado o mais importante da América Latina. Também comentaram sobre os aprendizados, oportunidades e vantagens que um projeto desse porte consegue oferecer, permitindo que jovens iniciantes na área audiovisual (principalmente roteiristas) tenham um ponto de partida na carreira. Como Sampaio comentou em dado momento, “o meio acadêmico se apresenta distante do profissional”.

Capua, que já produziu filmes como Laura, Sonho de Peixe e o curta Quem Matou Eloá?, comentou sobre a importância que o roteiro recebe na maioria dos laboratórios e o tratamento que recebe ao decorrer deles. Citando o Fundo Setorial Audiovisual como exemplo, em que uma comissão avaliava roteiro por roteiro dos projetos e ia os incentivando a melhorar a escrita e desenvolver melhor suas ideias, tendo até acompanhamento via Skype. Falou também rapidamente que esses projetos devem continuar se expandido para que mais jovens tenham oportunidades, pois em qualquer país (exceto EUA e China), o investimento em projetos audiovisuais provém sempre do Estado.

Da esq. para dir.: Fernanda de Capua (BrLab), Rafael Sampaio (BrLab) e profª. Sabina Anzuategui (Cásper)
Raphael Araujo

Sampaio mostrou esse crescimento por meio de slides, destacando os processos que uma produção audiovisual passa e outras empresas similares a BrLab, empresa a qual exerce o cargo de diretor e que em 7 anos de existência, já possui alto reconhecimento na América Latina. Ele também possui um histórico com produções audiovisuais, já tendo sido programador do Museu da Imagem e Som (MIS) e produtor de festivais, como o Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo.

No que se refere aos dois profissionais, ambos destacaram a importância dos festivais para divulgação de projetos em ascensão, usando como maiores referências: Festival de Cannes (um dos mais famosos e prestigiados do mundo), Festival de Sundance (um dos primeiros laboratórios de projetos audiovisuais; fundado pelo ator Robert Redford) e o Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, que nos dias 23, 25 e 27 exibiu um curta metragem produzido por casperianos, chamado de Microscopia.

No final, os produtores explicaram o processo de inscrição para participar dos laboratórios, que consiste em enviar, além dos currículos pessoais, um roteiro/descrição/sinopse dos projetos para uma banca avaliadora, que analisará a viabilidade e, principalmente, a criatividade do produto, característica que gera quase unanimidade para os avaliadores na hora de aprovar ou não o seu projeto.