Compassos do samba - Revista Esquinas
REVISTA DIGITAL LABORATÓRIO
DA FACULDADE CÁSPER LIBERO

Compassos do samba

Por Yasmin Luara : maio 23, 2018

Show com Beth Carvalho encerra a Virada Cultural na Praça do Campo Limpo

O domingo da Virada Cultural foi encerrado na Praça do Campo Limpo por um show de samba de Os Prettos, Samba da Vela e, o ponto alto da apresentação, Beth Carvalho. A carioca, muito aplaudida pelos espectadores, cantou clássicos como “Trem das onze” e “Coisinha do pai”, o primeiro dedicado a seu autor, Adoniran Barbosa. “São Paulo não é cemitério de samba”, afirmou ela em determinado momento do show.

Com 52 anos de carreira, a cantora ainda conserva o carinho pelo público. Madrinha da comunidade Samba da Vela, foi presenteada pelo grupo com um vaso de flores e homenageada por Serginho Poeta com um poema de seu livro, Poeta de Esquina. “Beth Carvalho é Beth Carvalho. O show foi muito bom, apesar de ela não ter tanto fôlego quanto antigamente” disse Jackson Galasso, de 52 anos, que assistia à apresentação emocionado.

Os Prettos, Samba da Vela e Beth Carvalho se reuniram no palco Praça Campo Limpo, na Virada Cultural 2018
Yasmin Luara

Como a novidade da Virada Cultural desse ano propõe, o palco da Praça do Campo Limpo contava com um tradutor de Libras, a linguagem dos sinais, para tornar a acessibilidade do evento maior ainda. Havia também uma área reservada para pessoas idosas, gestantes, mães com crianças de colo e pessoas com mobilidade reduzida. Segundo a coordenação do evento, essa proposta da Virada contribuiu para aumentar a quantidade de pessoas que foram aos shows por São Paulo.

Com direito a bis após o término do show, a apresentação foi animada, com um público que cantou, dançou e aplaudiu o samba da Praça do Campo Limpo.