REVISTA DIGITAL LABORATÓRIO
DA FACULDADE CÁSPER LIBERO
Sumário Fechar
Por Catalina de Vera, Diego K. Carvalho e Rhaisa Trombini Edição #60

O Jogo da Publicação

Conheça os processos percorridos por um jovem autor até ter seu livro publicado no Brasil

Para entrar no mercado editorial brasileiro, um escritor estreante pode enfrentar dificuldades, mas tem principalmente três opções para publicar seu livro: por meio de uma editora, de um self-publishing ou publicação direta online. A primeira é a mais conhecida, porém a mais burocrática, já que existe um processo de triagem e preferência das grandes editoras por nomes mais conhecidos e internacionais: “O estrangeiro já vem consagrado com garantia de venda”, explica Luiz Alvaro de Menezes, gerente de projetos da Câmara Brasileira do Livro. Para o escritor Flávio Mello, o mercado editorial é cruel e as editoras sempre escolhem autores mais famosos pelo público. Luiz Alvaro, entretanto, diz que não é questão dos grupos editoriais procurarem o lucro em detrimento de incentivar novos talentos da literatura, mas ressalta que uma editora é um negócio – e ser escritor, também. “Falam que o livro tem que ser mais barato, mas alguém tem que produzir esse exemplar”, acrescenta. “E isso custa”.

Ilustração por Beatriz Fialho

Publicação autônoma

O self-publishing é uma alternativa para aqueles que não desejam passar por todo o processo de publicação de uma editora. Uma iniciativa interessante é o Clube de Autores, a maior plataforma de self-publishing da América Latina e que possui um setor chamado Profissionais do Livro, oferecendo revisão, diagramação e confecção de capas profissionais a custos baixos em relação às grandes editoras. O maior problema para quem opta por essa ferramenta, porém, é a falta de visibilidade e divulgação mais ampla. Para isso, existem projetos como o Mesa do Editor, um site que opera como uma vitrine de produções independentes, encontradas por agentes literários e 13 mil editoras de mais de dez países.

A publicação direta online é outro método que tem crescido com o aumento dos livros digitais, ou e-books, mais conhecido pelo Kindle Direct Publishing (KDP), da empresa de livros Amazon. Porém, Luiz Alvaro adverte: “O editor, além de apurar o que o mercado vai ler, também dá uma orientação para o autor, e na Amazon, você perde esse suporte”. O livro é lançado no sistema em poucos minutos depois de enviado e é exibido no aplicativo disponível em Android, Windows Phone, PC e produtos Apple, o que possibilita um grande número de leitores.